top of page

Jesus Veio me Salvar… Do quê?



Fotografia: CottonBro


Parece óbvio se dirigir a um público cristão dizendo que Jesus veio nos salvar. Essa é a  sentença mais básica a respeito de nossa fé. Nós já sabemos disso.


No entanto, desde a encarnação de Jesus, pessoas têm se achegado a Ele por razões periféricas ao seu chamado e até mesmo por razões pecaminosas.


Se naquela época havia quem buscasse o Cristo em busca de pão, milagres ou revolução política, hoje não é muito diferente. Todos querem Jesus jogando no seu time.


No entanto, apesar de Jesus verdadeiramente ter operado milagres, alimentado multidões e causado um rebuliço social, estas não foram as razões primárias de sua vinda. Já na ocasião de seu nascimento, o anjo diz o seguinte àquela que seria a mãe do Deus encarnado:


Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles (Mateus 1.21).


A missão principal de Jesus era glorificar o nome do Pai ao salvar um povo para si. Isso nos revela o cerne do ministério de Jesus e o coração do nosso problema.

Jesus veio me salvar… Do quê?


A figura do salvador nos comunica imediatamente a ideia de que estamos em grandes apuros. Ninguém precisa de um salvador se está tudo bem. A missão salvadora de Jesus escancara para nós a verdade de que sozinhos nós continuaríamos perdidos na escuridão de nossos pecados.


A Bíblia frequentemente usa a figura das ovelhas e do pastor para ilustrar a nossa situação de dependência. Talvez você nunca tenha cuidado de ovelhas, mas já deve ter ouvido por aí que elas não são os animais mais autossuficientes e inteligentes. Talvez por isso a ideia de uma ovelha perdida seja um exemplo preciso de nossa condição sem Cristo.





Estamos em apuros, precisamos de um salvador. Somos incapazes de encontrar abrigo e segurança por nós mesmos.

Que vos parece? Se alguém tiver cem ovelhas, e uma delas se extraviar, não deixará as noventa e nove nos montes para ir em busca da que se extraviou?

E, se acontecer de achá-la, em verdade vos digo que terá maior alegria por essa do que pelas noventa e nove que não se extraviaram.

Do mesmo modo, não é da vontade de vosso Pai, que está no céu, que um só destes pequeninos pereça (Mateus 18.12-14).


Jesus, o Bom Pastor, comunica aos seus ouvintes toda a ternura de um salvador gentil. A imagem do pastor incansável em busca de sua ovelha perdida nos lembra de que estamos com problemas, precisamos de um salvador, e que este Salvador é amável e se importa com o pecador mais debilitado.



John Newton, autor do famoso hino Amazing Grace e grande defensor da causa da abolição da escravatura na Inglaterra, disse o seguinte:  “Minha memória praticamente se foi, entretanto me lembro de duas coisas: que sou um grande pecador e que Cristo é um grande Salvador”.


Por isso, ao olhar para Jesus, não deseje apenas a cura, o pão, as mudanças sociais. Não tente conformar Jesus à sua causa, seja ela qual for. O coração da causa de Jesus é a salvação de pecadores. Nós somos estes pecadores. Ele é o grande Salvador. Aleluia!



 

Gabriela Bevenuto é criadora de conteúdo. Casada com Pedro e mãe do Timóteo. Faz parte da Igreja Presbiteriana de Caxias do Sul, RS.



Комментарии


bottom of page