Advento, Natal e a Glória de Deus

Texto: Isabella Oliveira



Iniciamos o mês de dezembro e creio que, desde então há uma palavra muito pronunciada no meio cristão: advento.


Afinal, o que é o advento?


O povo de Deus, desde sempre é um povo da promessa. Um povo que, por um certo período, esperou a chegada do Messias prometido, que chegou reluzindo a fidelidade, bondade e justiça de Deus. Mas ainda hoje o povo da promessa continua a esperar e ansiar pelo retorno do Salvador.

A palavra advento significa “chegada”, é o período que antecede o Natal, começando quatro semanas antes do dia 25 de dezembro.


Neste período, por meio de leitura bíblica e orações, o povo de Deus prepara o coração para a chegada do Senhor. É o momento de meditar e relembrar os atributos divinos, se alegrando por sua fidelidade, glória e majestade. Depois de anos de silêncio da parte de Deus, desesperança, dias cinzas e confusos, nasceu em Belém, a Casa do Pão, Aquele que é o Pão da Vida. O Criador dos céus e da terra, cuja glória o mundo não pode conter, foi acolhido em uma manjedoura.


O povo da promessa esperou no escuro por 400 anos. Mas o Senhor, que não se esquece de seu povo e é fiel em todas suas promessas, fez brilhar o Sol da Justiça, Aquele que trouxe a cura —de nosso corpo e de nossa alma— em Suas asas.


Nasceu de mulher o Homem que nos trouxe redenção. Se fez bebê o Homem que é Deus. Morreu por nós o Deus encarnado. Ressuscitou em glória e majestade o Filho de Deus. E Ele voltará para redimir seu povo de uma vez por todas.


A redenção de nossas almas veio até nós como um bebê em Belém, mas precisamos nos lembrar que a redenção só será completa quando Ele vier novamente. Neste mundo temos dores, sofrimentos, mortes, doenças e todo tipo de pesares como resultado da queda do primeiro Adão. Por vezes nos encontramos sem esperança, desacreditados nas promessas de Deus e vivendo dias escuros em nossas almas, pois ainda esperamos a redenção final que virá no segundo advento, a volta de nosso Senhor.


Nós estamos no meio do caminho, e o advento nos lembra que nossa esperança se renova quando olhamos para trás e contemplamos com fé toda história do povo de Deus até aqui, como Ele foi fiel e continuará sendo, pois Ele é o mesmo para sempre. Podemos olhar a história da salvação e imaginar como deve ter sido dolorido esperar tanto tempo na escuridão pela promessa de salvação que se cumpriria quando o Messias prometido chegasse. Mas Ele chegou!


O advento nos põe a olhar para trás, mas nos encoraja também a olhar para frente: o Deus que veio ao encontro do seu povo uma vez, virá de novo, e o advento nos lembra de nos prepararmos para encontrar com Jesus em sua segunda vinda.

Com o passar do tempo, o feriado de Natal tem sido cada vez mais esquecido em seu verdadeiro significado. Há uma busca desenfreada por consumo, beleza, comidas e presentes. Muitas mesas são fartas, mas os corações estão vazios. Há beleza nas vestimentas mas esquecemos de contemplar o que há de mais belo no Natal – o Deus menino que nos nasceu.


Podemos, e devemos celebrar o Natal com alegria, presentes e comidas. Não encontraremos melhor e maior motivo para nos alegrarmos senão o fato de Cristo ter vindo a nós. Mas precisamos nos lembrar, e o advento é uma ferramenta para isso, que o Natal não é apenas uma história a ser contada sobre Deus ter nascido, mas é um momento para pararmos, desacelerarmos e meditarmos em verdades eternas: Deus veio ao mundo como um bebê para que pecadores imperdoáveis pudessem se sentar à Sua mesa como convidados amados. Não mais inimigos, mas agora filhos pelo sangue do Cristo, o Deus que nasceu de mulher e morreu morte de cruz para nos redimir eternamente.


Melhor do que banquetear com a família no natal, é saber que haverá um grande banquete final e que fomos convidados pelo próprio Deus a fazer parte de Sua família, pelo sangue de Cristo derramado em nosso favor.

A forma como vivemos o Natal revela o Deus a quem servimos. Que neste advento, possamos olhar para Cristo e nos arrependermos de todos os nossos pecados, e pedir de todo coração para que possamos viver todos os dias do ano com o coração inclinado a Ele, em leitura da Palavra, oração e ação de graças.


Jesus foi gerado no ventre de Maria, e pela graça do Espírito Santo, pode também ser gerado em nosso coração.

Quando Cristo nascer em nosso coração, viveremos todos os dias esperando por sua chegada e vivendo de forma que glorifique Aquele que há de vir. Cultivar&Guardar será semestral e gostaríamos de contar com a sua generosidade para nos ajudar na divulgação em suas redes sócias.


Ainda que hoje possamos também nos encontrarmos sem esperança, em dias escuros e sombrios, pela fé temos a certeza que já brilha o Sol da Justiça sobre nós. Enquanto Jesus viver, nossa esperança também há de viver. A boa notícia é que Jesus viverá para sempre.


Aleluia! Nosso Cristo vive!

Por: Isabella Oliveira



Isabella Oliveira é estudante de Pedagogia. Escreve para o Ministério Graça em Flor e serve na Igreja Assembleia de Deus Alphaville em São Paulo.


  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube
  • Facebook
  • Pinterest

© 2020 CULTIVAR & GUARDAR